30 de março de 2015

Boa tarde!

Amigos

A Dengue está aqui judiando de mim:( e enquanto isso vou atualizando aqui. Completou 1 mês que minha tia veio pra ajudar.
A recuperação da minha mãe está devagar e constante. Nem tenho palavras para agradecer á família por todo apoio que tenho recebido, minhas irmãs maravilhosas ajudaram muito e quando eu comecei a me desesperar, com medo de encarar tudo sozinha minha tia veio e tem ajudado com muita boa vontade. Passa os dias com minha mãe auxiliando, me ajuda com meu filho, com a casa, tudo.
Dessa forma eu vou trabalhar com a mente em paz.

Minha mãe ainda não voltou andar, mas se locomove com ajuda de andador, faz as refeições na mesa, já voltou a tomar banho sozinha. A carga ficou bem mais leve assim. Vamos seguindo confiantes e mais 2 semanas ele poderá andar...ufa!

Dia 27 fez 1 ano que tirei a vesícula, nunca mais aquelas dores horríveis, eita motivo bom pra comemorar kkkk

Ainda não voltei a malhar, estou tão sedentária...ser magra e não ter condicionamento físico não resolve nada, ou quase nada kkkkk, estou cansando muito fácil, não vejo a hora de voltar dançar , treinar, e pasmem agora: Que saudade da academia!

Continuo me pesando somente ás segundas-feiras, esse dia eu escolhi como dia de pesagem e 1 vez na semana está ótimo, se deixar quero me pesar todo dia, então parei de neurose e me peso ás segundas, assim tenho um motivo para me equilibrar no final de semana, para gostar do resultado na Segunda, legal né. Mesmo os finais de semana que exagero na bebida kkkk, que nem é tanto assim....3 caipirinhas é mais que suficiente.....hehehehe

Ás vezes fotografo meu peso pra registrar e hoje levei um susto, a balança marcou 65,8, caraca!! Quase minha meta de vida!! Fiquei mais surpresa do que feliz, sei que abaixou o peso por causa da dengue, não foi saudável, mas tudo bem, não se renega quilos a menos na balança kkkk


To me sentindo a mulher mais leve do universo!!

Estou contanto as horas para acabar Março...sabe aquela sensação que tem algo pra acontecer? Acordei assim hoje.


Beijos e vamos que vamos.

26 de março de 2015

Boa noite meus amigos!

Fiquei super emocionada lendo as mensagens no face, e aqui no blog peguntando sobre minha ausência. Obrigada pelo carinho.

Eu estou com DENGUE. E por experiência própria, é muito mais ruim do parece. é um Ó.

Desde domingo não consigo me alimentar de nada sólido, tudo me faz vomitar, até o comprimido pra dor. Tava dificil olhar pra luz, hoje melhorou bastante as vistas então rapidinho vim pra cá. Meus dias tem se resumido na cama literalmente.

Não tem foco de dengue na minha casa, os agentes sanitários vieram aqui. Provavelmente foi na empresa, já que mais pessoas contraíram também. Aqui em SP está um surto de Dengue, que só por Deus. E essa doença realmente acabou comigo, estou bastante debilitada.

Todo tempo lembro-me da dieta líquida, é engraçado. Gatorade na mão - que não tomava desde que fui liberada da dieta líquida - dificuldade na deglutição, os vômitos frequentes, a fraqueza, a dificuldade de raciocinar. A sensação que eu tenho é que voltei ao tempo tirando as dores no corpo né kkkk.
Dia desses com febre alta, acho que quase alucinando, cheguei a levantar a blusa no espelho, porque jurava que os furinhos do vídeo estavam ardendo, fui conferir. Realmente a Gastroplastia me marcou profundamente.

O médico me deu alguns dias em casa e sempre que as dores de cabeça me der trégua, venho aqui contar as boas novas!

Beijos meu amigos, não pode desanimar, cuide da família, elimine os focos do mosquito!

Vamos que vamos.


15 de março de 2015

Boa Noite Amados!

Evoluir durante esses 1 ano e 9 meses tem sido um aprendizado diário que gosto de compartilhar com voces.

Registrar com fotos, anotar o peso perdido não simboliza para mim somente um corpo sendo enxugado, encolhido, apequenando. Significa a concretização de sonhos de infância, certeza do caminho escolhido, significa força diária, saúde, beleza, sorte, felicidade, realização em todo o sentido da palavra.

Consegue entender a importância de registrar a evolução? Olhando fotos quase consigo apalpar o passado, e não com aquela dor melancólica de uma obesa compulsiva e solitária, quase apalpo enquanto separo a foto da montagem, um passado de esperança tão grande, de fé que este dia chegaria e agora ele está aqui e posso desfrutar da maneira que me convier.

Vencer a obesidade é muito importante pra mim, Me manter saudável e em forma é um desafio. Eu decido agora como quero lutar. Tratamento requer disciplina, é muito difícil, porém ser obesa também era difícil.

Segue fotinhas para incentivo meu - eu mesma me incentivo kkk - e para quem precisa de um pouco de força na jornada:



 Hoje minha vida tem  cor, tem sabor, hoje eu sorrio livremente, sem vergonha, hoje posso ser quem eu sou, a obesidade não me esconde mais.


Beijos meus amigos e vamos que vamos!



12 de março de 2015

Boa Noite

E hoje venho comemorar minha evolução cirúrgica. Completando 1 ano e 9 meses de cirurgia, solto sim o clichê: Parece que foi ontem. Háaaaa vindo aqui quando chega todo dia 12 e quando conto parte do meu processo, como fiz hoje ao encontrar um amigo o trabalho que opera no próximo dia 25, sinto o mesmo friozinho na barriga, sinto aquela mesma sensação de: Agora eu vou conseguir! É uma delícia que não consigo mensurar. Não esqueço um dia sequer, é muito importante pra mim.

Ainda estou em lua de mel com a Bariátrica, ainda como com cardápio, embora já o sei de cor, sigo conforme minha nutri recomendou. Não faço maluquices alimentares, vez ou outra me permito uma garfada num bolo com açúcar, tomei uma sorvete de palito com açúcar pela 1ª vez - fiquei enjoada a tarde inteira - sei meus limites, raríssimo mesmo acontecer dumping porque tenho uma alimentação limpa. Não sou a Santa do Bypass, longe de mim, mas como o mais correto possível, priorizo as proteínas, carboidratos de baixo índice glicêmico, comida pobre em gordura e rica em fibra, e ás vezes troco tudo isso por 1 pão frances sem miolo ou uma cumbuquinha de sopa rsrsrs, dias de glória kkkkk. Isso foi o que escolhi pra mim como meta de vida. Vencer a compulsão alimentar e ter boa convivência com a obesidade me mantendo em forma e com taxas normais, saudáveis. Com ajuda médica e muita força de vontade tenho conseguido sucesso nessa empreitada. Por porção 200 gramas sem líquidos.

Exercícios tenho deixado a desejar, há semanas não apareço a academia, vou esperar minha mãe melhorar um pouco mais e volto com tudo, animada eu estou. Faço uma caminhada forte 2 ou 3 vezes na semana e as vezes uma corridinha e tem semana que nem saio de casa, fico com aquela sensação de culpa como se estivesse me burlando, o que não deixa de ser verdade.

Esse mês não emagreci nenhum grama, me pesei no médico deu 1 kilo a menos - ele me repreendeu - kkk hilário, mas me baseio na minha balança e ela acusou hoje cedo os mesmos 67,2 kilos e sim, eu sorri quando vi, fico boba, agradecida, orgulhosa, surpresa, tudo junto kkkkk

Até agora a pior parte de todo processo cirúrgico, adaptação, emagrecimento é o emocional. Tenho imensa dificuldade em lidar com a falta de prazer que antes a comida me proporcionava, não consigo tapar esse buraco de forma nenhuma, semana que vem, volto pra terapia, ainda não voltei por comodismo, mesmo sabendo que a cabeça não tá legal, estou tomando calmante para conseguir dormir e parar de pensar em comida e mesmo assim estou um pouco resistente em voltar, certeza que troco de terapeuta.

A vida tem sido assim, dias difíceis, dias fáceis, felizes, tristes, como tem que ser.

Caraca, sou eu mesma? Eu peso só isso? Eu estou conseguindo manter meus kilos perdidos assim com essa disciplina que tem me exigido menos? Meus Deus, que medo de acordar!

Minhas blusas são P ;)
Tenho 1 shorts 38 ;)
Só tenho saltos :)
Vivo maquiada :)
Vivo escovada:)
Vivo de unhas feitas:)
Vivo cheirosa:)
Vivo sorridente:)
Vivo toda esperançosa:)



Viva a Gastroplastia!


Beijos amigos e vamos que vamos.

9 de março de 2015

Boa noite amigos!

Hummmm post de ontem me rendeu vários e-mails...rsrsrs voces gostam né kkkkk.
Sério, obrigada pelo carinho!

Quando ouço a expressão "saindo da dieta" automaticamente tenho a impressão de chutar o balde, jogar tudo pro alto, jacar, tirar a bariga da miséria.
Tudo isso porque passei muitos e muitos anos achando que ou se é feliz - comendo - ou vive de dieta.

Passar a borracha nesta quase egrégora que se formou no meu ciclo de vida e aceitar que é possível ficar em forma, comer tudo que gosta - carbo, açúcar, gordura, álcool - sem prejudicar a saúde é o mesmo que me dizer que a terra é quadrada. Não consigo imaginar!

A nutricionista vive me corrigindo: "Silvia, é RA e não dieta, voce não está doente, não precisa restrição de dieta, reeducação alimentar é a chave".

Eu bato o martelo, sigo na famosa RA e cismo que é dieta, o lado ruim é que se faço e como algo fora do cardápio vem logo aquela sensação chata de culpa.

Não sei equilibrar, não sei compensar, não gosto, e a proibição me deixa na linha do tipo: "Não posso comer isso porque ainda não cheguei lá". babaquice de dieta, porque tem prazo e isso não é mudar hábitos, é mascarar hábitos.

Somente quando eu mudar a maneira como vejo a comida conseguirei sair da dieta e passar a comer de fato saudavelmente, dá pra entender?

O problema maior é achar que a comida pra mim não é alimento pra me trazer saúde, energia. A comida pra mim é fonte inesgotável de prazer, e olhar um prato saboroso que não devo comer naquele momento me deixa estressada, sem controle, e se eu vacilar essa obsessão vai tomar conta da minha vida. Literalmente não como mais porque não cabe....santa Bariátrica!!

 E se não consigo extravasar minhas ansiedades comendo, porque tenho um mini estômago - pela graça de Deus - fico maluca, com insônia, e taca-lhe calmante. Ou seja, sou uma viciada em comida que não consegue comer, ou melhor não quer comer...posso boicotar minha cirurgia se eu quiser...mas não o faço, porque minha insanidade não chega neste extremo, jamais vou estragar o que me foi tão difícil, tão caro, tão esperado. Minha curvatura de grampos e meu intestino em Y merecem reverencia e respeito de minha parte, me burlar não. Nunca. Belisco ás vezes, não vou mentir, mas nada que me faça ir pro inferno das gordices.

Acho que 75% dos meus pensamentos envolvem comida. Isso tem que acabar, aaaaa vai!


Praticar o mantra kkkkkk





Beijos e vamos que vamos.



8 de março de 2015

Boa noite,

Dias e dias sem vir aqui e já começo Março/2015 falando de algo que é muito muito mais muito tabu pra mim - e para todas ex gordinhas solteiras - eu acho.

Sexo

Senta que o post é grande.

Fazer sexo estando gorda é desprazeroso completamente. Alias, deixa me corrigir : Fazer sexo de mau com qualquer coisa na sua vida ou seu corpo é desprazeroso.

Recebo vários e-mails de mulheres e alguns homens me perguntando como lido com a flacidez depois de emagrecer 72 kilos e se ela existe e como ficou o sexo desde então. As vezes rio com as perguntas e como prometi e nunca menti, assim que eu tivesse uma experiência desse teor viria registrar aqui sim. Hoje me deu vontade de falar sobre isso.

Antes de mais nada, cada um com sua individualidade, quando se começa uma vida sexual depois de emagrecida com flacidez e o parceiro novo que só conhece voce neste momento de vida é esquisito no mínimo.

Na real não lido com a flacidez, odeio, me sinto velha e descuidada, a flacidez me mostra diariamente a forma que maltratei meu corpo anos a fio. Não ter dinheiro para corrigir com plástica me traz grande frustração de saber que viverei sempre me ocultando me escondendo, me ponderando, como se todos observassem minhas falhas, meus delitos, meu vício, meu fracasso. Agora todo esse sentimento se multiplica em mim quando me imagino nua na frente de um homem.

Há 4 meses saio com um rapaz, não somos namorados, temos um lance sei lá. Adoro sua companhia e não falei da Bariátrica, o estilo de vida dele me intimida, idiotice minha, insegurança. Gosto de como me sinto perto dele, posso ser quem eu sou verdadeiramente, desde que eu esteja vestida. Somos adultos e podemos fazer sexo responsável sem problemas, mas aí que entra o problema...se não falo sequer da bariátrica como lidar com a nudez? Fico numa tremenda saia justa quando saímos pra correr, ele tira a camisa e mostra uma barriga de anos malhada e treinada no jiu jitsu. Nunca me permitia situações que favorecessem o clima para sexo, igual aquelas puritanas kkkkkkkkkk. Mas naturalmente uma hora ou outra isso ia acontecer, estava pronta a encerrar nosso breve romance por conta dessa minha covardia, o valor que me dou é tão mínimo que na minha cabeça ele não merecia ter uma mulher perto tão feia como eu. Pensei muitas vezes nisso, que falta de amor próprio meus amigos. Vejam como a obesidade me afeta fortemente até hoje.

Certo dia depois 2 garrafas de vinho, e mais uma vez tinha saído de casa dizendo para mim mesma que seria a última vez, que não o veria mais, conversa ai, conversa vem, blá blá blá, rola um clima e uma tensão da minha parte. Pensei que talvez eu pudesse tentar, o medo de me frustar era muito grande, mas eu também preciso me dar oportunidade, e porque não arriscar?! Já cheguei até aqui mesmo. Como minha terapeuta me orientou, essas coisas precisam ser conversadas antes de uma clima, jamais durante, pode ser traumático. Nessa linha de raciocínio resolvi - encorajada por um pouco de álcool - seguir em mais um campo desconhecido pra mim nessa nova vida. O diálogo foi exatamente assim como vou descrever - Deus me livre um dia ele ler isso - kkkk

Eu:
- Lembra que te falei que sigo uma linha mais light, que perdi peso durante esses ultimos meses?
Ele:
- Aham, lembro.
Eu:
- Então...foi muito peso.
Ele:
- Hum, legal, ótimo pra saúde, quanto peso perdeu?
Eu:
- 72 kilos - já arrependida - kkkk covarde!!!!!
Ele: Cara de espanto
- Mentira, tudo isso?? Devolve o vinho kkk, já ficou louca.
Eu:
- É verdade! E depois de emagrecer tanto, as coisas não ficaram muito firmes por aqui...se é que voce me entende. ( Ai planeta me engula agora)
Ele:
-Aham. Vamos lá pro meu quarto, quero te mostrar o que eu trouxe da feira do micro empreendedor.

Cri - Cri - Cri - Cri

Fiquei esperando por alguns minutos enquanto nos olhávamos uma palavra de nojo ou um cenho franzido, ou uma breve rejeição. Nada aconteceu que me desencorajasse. Ele pareceu não se importar com isso, acho que o fantasma era só meu.

Então resolvi continuar, o terreno tinha sido preparado com sucesso e perdi o medo de ser franca com ele que foi um querido se desdobrou para me deixar super a vontade, e a primeira vez que fizemos amor, a meia luz, ele sugeriu que eu decidiria a hora que eu quisesse tirar a blusa, ou não, ele entenderia. Depois de horas e com muita força de vontade da minha parte, voces não imaginam o quanto foi difícil pra mim, me mostrei nua de verdade, e novamente tentei ler em seus olhos algo que o denunciasse, que me fizesse odiá-lo e desistir do momento e nada disso aconteceu. Pelo contrário, me fez admirá-lo ainda mais, o que já é perigoso demais...kkk preciso me policiar para não sufocá-lo com minha carência afetiva.

E ainda não crédula da noite incrível com direito a café na cama, pensei que depois desse dia jamais o veria outra vez, ele era demais pra mim, poderia estar com qualquer moça com um corpo mais bonito e milhoes de vezes mais sexy que o meu - o que não é nada difícil.

A despedida da nossa noite juntos foi com uma certeza absurda que ele foi extremamente gentil e cavalheiro e não ia querer me ver mais. Estava preparada para ser deixada de lado. Minha feminilidade no lixo.

A tarde um whats dizendo que meu perfume ficou no cobertor. E que a noite foi adorável. E depois um convite pro cinema, que aceitei na hora.

E as coisas tem seguido assim desde então. Nos vemos cerca de 2 vezes na semana, passamos várias outras noites juntos. A vergonha da minha flacidez continua a mesma, o que mudou foi meu jeito de encarar.

Se vai durar nosso lance, não sei, espero que sim, mas não dou um passo maior do que a perna alcança, vivo um dia de cada vez. Sem cobranças, sem planos. E se hoje ele quiser parar, não ficarei triste, muito pelo contrário, ficarei grata pelas lindas experiências proporcionadas, ele não imagina o inestimável valor que elas tem pra mim.

Com esse relato tão íntimo quanto vários outros que registrei aqui da minha vida, quero mostrar que é possível viver feliz com a sombra da obesidade, porém não é fácil, pra poder tirar proveito precisa passar por cima de muita coisa, eu me cobro muito, me puno, não me conformo do que fiz comigo mesma, e a vida costuma jogar na minha cara, me esforço diariamente pra me sentir dentro do mundo, agora que caibo, preciso jogo de cintura pra permanecer nele, comendo bem, cultivando o bem, e aceitando meus defeitos e os defeitos de outrem.



Beijos amigos e vamos que vamos!


Quem sou eu

Minha foto

Sou Silvia, romântica de alma, sonhadora e agora em busca do renascimento, um corpo saudável. No dia 12/06/2013 me submeti a cirurgia bariátrica, fiz o Bypass Gastrico em Y de Roux por video pelo convênio Bradesco no Instituto Garrido, depois de muitos meses pensando, enfim decidi! Vou dividir com voces a jornada da cirurgia, principalmente a parte burocrática e adoraria fazer novas amizades! bem vindos no meu diário, ele está aberto.

Pesquisar este blog

Evolução mês a mês

  • 12/06/2015 66,5 kilos 2 anos
  • 12/05/2015 66,5 kilos
  • 12/04/2015 66 kilos
  • 12/03/2015 67,2 kilos
  • 12/02/2015 67,2 kilos
  • 12/01/2015 68,6 kilos
  • 12/12/2014 69,2 kilos
  • 12/11/2014 69,5 kilos
  • 12/10/2014 70 kilos
  • 12/09/2014 72 kilos
  • 12/08/2014 73 kilos
  • 12/07/2014 73 kilos
  • 12/06/2014 73,5 kilos - 1 ano
  • 12/05/2014 74 kilos
  • 12/04/2014 75 kilos - meta médica
  • 12/03/2014 80 kilos
  • 12/02/2014 83 kilos
  • 12/01/2014 85 kilos
  • 12/12/2013 90,7 kilos
  • 12/11/2013 94 kilos
  • 12/10/2013 100 kilos
  • 12/09/2013 105 kilos
  • 12/08/2013 111,5
  • 12/07/2013 118,5 kilos
  • 12/06/2013 Maior peso 138 Kilos dia da cirurgia

Siga- me por e-mail!

Google+ Followers

Tecnologia do Blogger.

Minha lista de blogs