25 de fevereiro de 2015

Boa tarde

Nunca fiquei tantos dias sem vir aqui. E me sinto assim tão esquisita sem compartilhar minha rotina com voces.

Se te perguntarem: Qual foi o dia mais feliz da vida até hoje?
Voce saberia a resposta?

Me perguntaram, e por um instante fiz um filtro dos meus mais sorridentes e reconfortantes dias....e podia escolher 1 ou 2 ou 6 dias, mas eu tinha que responder só 1: O mais feliz. E não achei, procurei na minha vida inteira de lembranças boas, vasculhei minha caixa de memórias felizes e não consegui escolher 1 diazinho sequer....fiquei frustrada e deprimida. Me senti tão infeliz.

A noite deste mesmo dia, quando me deitei comecei a pensar nisso. Em como espero um grande dia na minha vida. Em como fantasio com essa minha alma romântica que pende ao um drama um dia para chamar de meu. Passo horas, me inspiro, me arrumo, me preparo para a chegada daquele dia que será rotulado como o mais feliz de todos.

Mas aí, se esse dia chegar, será o fim e não o começo de uma nova vida. Se eu viver o dia mais feliz hoje, o que restará pra mim amanhã? Um dia vazio, sem expectativa, sem razão.

Larguei o ar deprimente, e busquei na minha caixa de lembranças dias que valeram a pena, e que não dá para esquecer, até mesmo os 10 anos que vivi na escuridão da obesidade eu consegui tirar dias de glória, dias merecem ficar na minha caixinha, como quando eu soube que estava gerando um menininho, quando este menininho me chamou de mãe, quando minha mãe me chamou pra dizer que ia largar a moleta por que já conseguia andar sozinha, quando eu fiz um bolo de fubá incrivelmente fofo e delicioso, quando minhas irmãs se casaram, quando fui pedida em namoro formalmente, quando usei meu primeiro salário, quando bordei meu primeiro pano de prato, quando andei de avião a primeira vez, quando ganhei meu primeiro livro, quando soube que seria titia, quando tirei o aparelho dos dentes, quando a cirurgia bariátrica foi aprovada, quando meu IMC atingiu o considerado normal, e fazendo esse exercício de resgate de dias felizes percebi que sou sim uma pessoa feliz, e que devo de fato parar de procurar o grande dia, o mais feliz da minha vida, eu posso juntar essas pequenas felicidades que fazem minha vida tão grande.

Em contrapartida, se listar agora minhas pequenas alegrias diárias, a lista das tristezas e amarguras inerentes do ser humano ficam tão minúsculas....pra quê cargas d'água eu quero ter o dia mais feliz da minha vida? O que eu faria com ele depois? Durante anos eu achava que o dia mais feliz da minha vida seria quando eu deixasse de ser gorda, e isso não aconteceu deixando uma ponta de decepção dentro do meu eu.

Vivo hoje um dia de cada vez aproveitando, saboreando cada minuto do meu dia com o corpo mais magro que já tive na vida, que é também a razão de imensa felicidade pra mim. Nem eu acredito que habito um corpo de 67 kilos e 400 gramas exatamente. Ainda me surpreendo no espelho e difícil não sorrir para minha imagem refletida nele todas as vezes.

Chegar em casa, ver os meus com saúde, todos bem, isso sim é felicidade sendo vivida, junto com todos os dissabores, é a vida, é assim que se vive. Fazendo o meu melhor, me orgulhando da minha força contra o vício na comida, resgatando uma parte de mim que há tanto tempo ficou esquecida.

Até ontem eu almejava o dia mais feliz de todos, agora quero aproveitar todos os dias com pequenas felicidades, é tão mais fácil, tão mais possível, tão mais real.



Beijos amigos e vamos que vamos.


18 de fevereiro de 2015

Boa Noite amados!

Hoje vamos de fotinhas pra registrar a evolução de 20 meses de Gastroplastia.

A melhor parte, adoro fazer montagens.

Para que eu não me esqueça de onde vim e até onde cheguei!

Bora lá: 1 ano e 8 meses de Gastroplastia






Estou muito feliz por ter chegado até aqui, ainda tenho muito o que aprender, preciso desvincular o prazer da comida, comida é pra satisfazer as necessidades orgânicas, não emocionais.

Fico por aqui ainda nessa luta travada, mas que é completamente satisfatória!

E viva a vida nova!!!!


Beijos e vamos que vamos.


17 de fevereiro de 2015

Bom dia amigos.

Quase 20 dias sem calmante e já pirei. A mocinha aqui ex- gordinha compulsiva começa a roer os rodapés da casa outra vez.

Estou com insônia, insônia pra valer, beliscando o dia inteiro, e minhas coxas encheram de caroços que coçam o machucando tempo todo. Estou cheia de tiques, gastando dinheiro á beça, tremores, taquicardia. Acho que virei dependente de calmante kkkk

Ai. Meu. Deus. Alguém traga meu Rivotril!!

Não foi um bom momento excluir dos meus dias o calmante. Principalmente agora com a mãe acamada em recuperação, que olha....é difícil não arrancar os últimos fios da cabeça. Foi maravilhoso ela operar para voltar andar, mas até chegar esse dia haja paciência. Me solicita o tempo todo, reclama de tudo, tem dores, tem manha também. Estou moída, parece que fui atropelada e tenho vontade de comer o tempo todo. Já preparei o psicológico para quando minha irmã for embora. A carga tá pesada, bastante.

Como já falei não sei bem dividir as coisas, mas estou tratando de dividir já, porque vou sim ficar louca. Estou tentando marcar médico e esperançosa de sair de lá com uma receitinha sem maiores empecilhos. Minha irmã me deixou dar uma escapada no fim de semana, ficou com minha mãe e filho para que eu pudesse namorar um pouquinho....mereço né. kkkkk Algumas horas fora de casa em boa companhia e chamegos me fizeram beeemmm feliz! hehehhe

É muito difícil pra mim lidar com a rotina sem poder usar a comida como escape. E sem terapia, e no momento sem malhar pra descarregar o stress. Não me sinto fraca também por recorrer a ajuda de remédios pra superar minhas dificuldades. Não posso chegar ao extremo de antes, utilizando antidepressivos e moderadores de apetite para sair da cama. Mas se estou precisando de um rivotrilzinho kkk vou tomar, porque não posso desistir de mim, e a mesma fé continua aqui, hoje estou assim no meu limite e amanhã vem a calmaria outra vez. Fé em dias melhores, sempre tive.

Vamos que vamos,  força na peruca Fevereiro já está na metade....Êeeeeee



Beijos


12 de fevereiro de 2015

Boa Noite meu amigos!

Que saudades daqui!! Sumi, ai amigos quero falar tanto, tantas coisas aconteceram nos últimos dias...mas vamos um passo de cada vez. Deixa a dona ansiedade em paz.

Minha mãe finalmente fez a cirurgia, colocou a prótese na perna está hospitalizada, então tudo muito corrido pra mim, minha irmã tem me ajudado muito, correu tudo bem, felicidade que não cabe no peito, depois de 3 anos voltará a andar. Tudo aqui um turbilhão...

Hoje mesmo tarde fiz questão de vir aqui comemorar 1 ano e 8 meses de Gastroplastia. Ainda sinto
aquele gostinho de felicidade, ainda sinto o mesmo friozinho na barriga, ainda acordo e sorrio quando visto meu jeans 38/40 tranquilamente.

Não, ainda não me acostumei á vida nova e quer saber? Não me importo, eu gosto dessa sensação de liberdade, de recompensa, e de leveza do corpo e da alma.

Hoje peso 67 kilos e 200 gramas, o menor peso da minha vida. E de pensar que há 20 meses atrás pesava exatamente 138 kilos. Um pequeno espaço de tempo que me trouxe uma vida completamente nova.

Continuo comendo o mesmo volume de alimento por porção 170 gramas 200 estourando. Mastigo devagar, como fracionado o dia todo, não fico muito tempo sem algo na boca para mastigar. Isso que acho interessante, antes eu também comia o dia todo mas somente porcarias, hoje faço escolhas. Nem sempre as melhores escolhas, mas penso com cuidado no que vou colocar no meu mini estômago, essa consciência me deixa super feliz e animada.

Me sinto uma pessoa emagrecida, a flacidez me incomoda bastante, estou bem insegura com meu corpo, principalmente desde que comecei a me relacionar com rapazes, fico meio frustrada com isso e agora voltei a pensar forte em plásticas.

Não sinto mais nada de desconforto para comer ou beber, se mastigar direito desce de boa, me sacio rápido, e ainda penso que poderia comer mais, a cabeça continua gorda, ás vezes como com o olho.
Dumping me pega ás vezes, raro, mas acontece e ruim, muito ruim.

Meu estado de espírito para esse dia é de agradecimento. Sou grata por não ter desistido de mim, quando ninguém mais acreditava, sou grata pela oportunidade de tentar vencer a obesa que mora em mim, sou grata por 2015 ter começado tão bem, coisas tristes também me acontecem, mas não deixo tais coisas ganharem mais destaque do minha felicidade. Sempre uso meu status de ex obesa para aliviar tudo. Se me acontece algo de ruim, eu logo penso...isso vai passar, se eu carregava 138 kilos e consegui, também consigo superar essa.... e assim vou seguindo meus dias.


Beijos meus amigos e vamos que vamos!
5 de fevereiro de 2015

Boa tarde Amigos!

Voce está gordo e terrivelmente se torna aquele ponto de referência. É notado até mesmo sem querer. É aquela armadura adiposa ofuscando quem voce realmente é o tempo inteiro. Tudo o que acontece é culpa do gordo. Sempre. Só enxergam o peso extra. Só isso. Não consegue trabalho decente, discriminação, alvo de piadas de mau gosto, e aquela outras milhares de coisas que a obesidade nos traz.

Ai voce luta, se desespera, faz o que pode e o que não pode, se esforça, dá a última cartada e a mais desesperada: Faz a Gastroplastia. Muda hábitos, muda vida, muda rotina, aprende a reconhecer o novo eu no espelho, tenta tratar a cabeça, luta contra a compulsão e micro estômago, começa a lidar com um corpo leve que também é difícil de carregar - quem nunca foi magro sabe o que quero dizer - aprende a viver sem a armadura que te protegia e aquecia e ai se torna ponto de referência outra vez.

Como assim? Vou explicar. No começo, é um bom ponto de referência... tipo: "Olha que ótimos resultados ela alcançou!" "Quanto esforço", "Quanta coragem" "Está linda".

Isso ainda não mudou, recebo elogios, palavras de carinho e admiração e embora sejam de muito boa vontade, essa reação também tem um peso para carregar porque essas mesmas pessoas que dizem essas palavrinhas doces, macias, também estão prontas á atacar - pelo menos a maioria delas - e é desconfortável ser vista todo o tempo também. Agora reparam nas minhas roupas no meu cabelo, e no que eu como. Não sei como cortar a liberdade de pessoas que tem a audácia de se aproximar e dizer que a calça não vestiu bem, que minha escova não ficou bem feita, ou pasmem: minha calcinha está enfiada na bunda!!!!! Oi? Sim, isso mesmo kkkkkk cômico.

O pior de todos os pontos de referência é quando vai comer algo, uma bolacha doce ou um pedaço de pão francês e já disparam: "mas voce come isso?" Caraca, até quando vou ter que dar este tipo de explicação?? Já estou indo para o 2º ano de cirurgia e o povo ainda não acostumou...cruzes!

Outro dia escutei uma pérola...."Pode comer, porque se até a Silvia comeu um pedaço, pedaço grande até...deve tá bom mesmo." O pedaço grande era de uma torta salgada que devia ter mais ou menos 30 gramas, estou boa de olho kkkk. Fiquei passada com tal observação. Não quero deixar esse tipo de coisa me fazer evitar comer na frente das pessoas como quando eu era obesa, foi graças a muita terapia que voltei a me alimentar na frente de todos com naturalidade e tem me incomodado bastante.

Olhar pra cara de uma pessoa que fica embasbacada de me ver comer uma banana inteira é um porre. Ter que explicar que a banana tem 80 gramas, logo poderia comer 2 se quisesse chega a ser ridículo, mas é isso que tenho feito principalmente no ambiente de trabalho.

Quero virar fumaça, quando me oferecem algo, tipo uma torrada, bolacha, ou fruta, aceito e logo vem a piada: " certeza que reduziu o estômago??" Reviro os olhos e suspiro para manter os bons relacionamentos que cá entre nós nem são bons assim....

Me sinto exposta, estou exposta desde que os quilos extras me deixaram, e entrar no mundo assim de cabeça é esquisito pra caramba.

Acho que estou insegura comigo mesma. E acho que é por isso não falei para mais ninguém da cirurgia. O que me entristece, porque tenho orgulho disso. E não quero me esconder outra vez.

Sou uma gorda escondida num corpo emagrecido, os fantasmas ainda são os mesmos, só mudou o jeito de assustar.



Beijos e vamos que vamos.


1 de fevereiro de 2015

Boa tarde!

Nada melhor que um Selfie para aqueles dias que acordo achando que nada mudou....

#Renascer foi preciso
#Bypass
#71 kilos off

Antes 138
Agora 67

Altura 1,72

Amigos, nessa foto do antes tinha emagrecido 18 kilos já.
Tinha pouco mais de 1 mês de cirurgia quando recebi a visita da minha sobrinha linda e afilhada que mora no Sul.

E a foto do depois foi de sexta feira, família toda em casa, tá delícia.



O vestido é de hoje kkkk



Olhar montagens é bom pra mim, e espero que sirva de motivação para quem está no começo que é tão difícil se imaginar emagrecido.

A mudança é radical e rápida. Não tão rápida quanto minha ansiedade, mas é muito rápida, a cabeça começa acompanhar agora, e ás vezes ainda tenho impressão que nada mudou, me sinto a mesma obesa mórbida de sempre, chega ser surreal. Então me encho se selfie, venho na blogosfera, pego forças com voces, e vejo que tem valido a pena todo dia dessa luta estranha contra a compulsão alimentar e a obesidade.


Beijos amigos e vamos que vamos!





Quem sou eu

Minha foto

Sou Silvia, romântica de alma, sonhadora e agora em busca do renascimento, um corpo saudável. No dia 12/06/2013 me submeti a cirurgia bariátrica, fiz o Bypass Gastrico em Y de Roux por video pelo convênio Bradesco no Instituto Garrido, depois de muitos meses pensando, enfim decidi! Vou dividir com voces a jornada da cirurgia, principalmente a parte burocrática e adoraria fazer novas amizades! bem vindos no meu diário, ele está aberto.

Pesquisar este blog

Evolução mês a mês

  • 12/06/2015 66,5 kilos 2 anos
  • 12/05/2015 66,5 kilos
  • 12/04/2015 66 kilos
  • 12/03/2015 67,2 kilos
  • 12/02/2015 67,2 kilos
  • 12/01/2015 68,6 kilos
  • 12/12/2014 69,2 kilos
  • 12/11/2014 69,5 kilos
  • 12/10/2014 70 kilos
  • 12/09/2014 72 kilos
  • 12/08/2014 73 kilos
  • 12/07/2014 73 kilos
  • 12/06/2014 73,5 kilos - 1 ano
  • 12/05/2014 74 kilos
  • 12/04/2014 75 kilos - meta médica
  • 12/03/2014 80 kilos
  • 12/02/2014 83 kilos
  • 12/01/2014 85 kilos
  • 12/12/2013 90,7 kilos
  • 12/11/2013 94 kilos
  • 12/10/2013 100 kilos
  • 12/09/2013 105 kilos
  • 12/08/2013 111,5
  • 12/07/2013 118,5 kilos
  • 12/06/2013 Maior peso 138 Kilos dia da cirurgia

Siga- me por e-mail!

Google+ Followers

Tecnologia do Blogger.

Minha lista de blogs