30 de maio de 2014

Bom dia!

Eis que meu curso noturno acabou...ufa! Foi delicioso, tirei muito proveito. Voltar para uma sala de aula era
algo que almejava muitíssimo.  Agora já posso voltar para a academia! Estou muito ansiosa e vou me matricular na Segunda- Feira naquela academia que estava paquerando há um tempo...é o meu presente!

E no último dia do curso rolou uma confraternização com muita comida. Eu não ia, mas como íamos pegar o certificado nesse mesmo dia, fui porque voltar lá depois ia me atrapalhar.  Quando vi aquele monte de comida na mesa fiquei agoniada.  Tinha tudo que eu comia antigamente: Bolo, torta, salgados, refrigerantes, pudins, canudos de leite...e muito mais...rsrs.

Por incrível que pareça eu não senti vontade de nada, mas a cena estava me incomodando, não entendi por que. Mentalizei assim: “O que mais estou com vontade de comer aqui?” Nada! Eu não queria nada. E porque ficar ali estava me incomodando tanto? Não sei até agora.

E logo começou os comentários: “Come alguma coisa”, “Puxa, vc não come nada?” “Não vai comer nada mesmo”. Eu peguei um pão de queijo e um pouquinho de suco Light, acho que media 2 dedos no copo e tomei, me deu uma tremedeira danada..rsrsrs, pra que fiz isso? Light não é ZERO açúcar, deu um dumpinzinho leve, mas fiquei  com um zumbido no ouvido.

Essa parte de festas é chato. Ninguém sabia da Bariátrica e também não falei nada. Como me comportar diante dessa comilança? Me sinto um peixe fora d’água, por isso não gosto de ir. Fico assim com cara de paisagem enquanto as pessoas comem á beça. É muito esquisito.

Enfim...estou muito bem, feliz porque consegui finalizar um projeto meu, eu nunca conseguia ir até o fim de nada, sempre desistia. Agora eu consigo, não estou tão incompleta mais, foi uma vitória.

Esse mês que achei tão longo está chegando no finalzinho, estou liberada para as atividades físicas, semana que vem vou ver minha irmã, vou comprar umas roupas de frio, e meu dente parou de doer, mas estou com curativo até semana que vem. Hoje é aniversário do meu filho, 5 anos. Ele vai ganhar um bolo no domingo. 

Beijos amigos e vamos que vamos.



29 de maio de 2014

Bom dia!

Sempre que acontece uma mudança muito grande na vida existiu um start, algo acontece que te faz mudar tudo completamente.  Comigo não foi diferente. Meu Start aconteceu em janeiro de 2013.

Todo obeso conhece de cor e salteado um milhão de dietas e como se faz para emagrecer, mas sair do papel é outra história. Depois de inúmeras tentativas frustradas de perder peso e manter o peso perdido eu apelei para as fórmulas com acompanhamento médico. Meu salário baixo, ficava quase todo nas farmácias, entre moderadores de apetite, anti  depressivos e controladores hormonais. Eu estava desesperada para emagrecer, 10 anos obesa tinha me exaurido a vida completamente e minha querida irmã Nina começou a me ajudar financeiramente, ela é uma das pessoas que nunca desistiu de mim. Sempre me apoiando, fazia o que podia para me ajudar.  O tratamento surtiu efeito e ao longo de 2 meses emagreci 13 quilos. Não vi diferença alguma , eu precisava emagrecer  70 quilos e um esforço  enorme para me manter na dieta pois eu não tratava o emocional. Chegou um momento que mesmo com tantos medicamentos eu voltei a comer muito, exageradamente e isso me assustou. Remédios que me tiravam o sono, a depressão ficou mascarada, eu estava um lixo, um caco, mas o remédio não deixa isso transpassar, fiquei apática, triste, com insônia, crises de choro alternados com alegria sem motivo.  E mesmo assim continuei, não havia mais o que fazer, tomava os remédios e me entregava ás compulsões sem nenhum pudor. Engordei os 13 quilos emagrecidos mais uma vez.
Um dia meu filho me viu trocando de roupa e disparou com toda a inocência de uma criança de 3 anos: “Mãe...porque você come toda a comida?” me perguntou isso por causa do tamanho da minha barriga. Eu respondi que ainda não sabia porque fazia isso. Fiquei sentada na cama pensando nisso, porque eu como tanto? E a culpa me assolou outra vez.  Eu não podia fazer isso com minha família, com minha irmã que me dava o dinheiro, eu não merecia viver. Passei uma semana com aquele nó na garganta, um sentimento de fracasso tão dolorido que não desejo para um inimigo.


Naquela mesma semana fiz o treinamento de 2 pessoas novas no setor da empresa que trabalho. Uma dessas pessoas é uma mulher  gastroplastizada. Muito comunicativa, ficávamos o dia inteiro juntas e em uma conversa ela me contou sobre a redução de estômago. Embora ela não teve sucesso com a cirurgia, pois engordou tudo denovo dentro de 3 anos por conta da depressão e falta de acompanhamento médico eu achei interessante o fato de conhecer alguém que fez e ficou pelo menos viva, rsrsrs. Eu achava que a Bariátrica era para obesos que nem andam mais, e achava que quase todos morriam, não tinha conhecimento da evolução na medicina nesse campo. Eu não imaginava que também era obesa mórbida, me achava gorda somente.  Ela me passou o telefone do seu médico tão espontaneamente que liguei e marquei uma consulta em janeiro de 2013 só pra ver como era. Depois de 1:15 na sala com o cirurgião – Da CLIMED – Não foi com ele que operei, troquei depois, porque ele atendia com reembolso. Sai de boca aberta com esse mundo novo e surpreendente que se abriu pra mim e desanimada pois ele me disse que chegaria a pesar 90 quilos, que não era milagre. 

Saí de lá com uma bateria de exames na mão, acho que uns 60 exames no total e nenhuma certeza de nada. Tudo muito novo. Deixei passar 4 ônibus e não consegui entrar, fiquei paralisada no ponto. Eu só pensava no que fazer. Será que eu deveria arriscar? Não teria mais volta. Seria uma jornada imprevisível.

Por um momento eu vi um filme na minha cabeça e sabe aquele calor no coração e aquela voz suave no cantinho que te diz: “Vai ! Esse é o caminho.” Eu estava com a resposta da pergunta que me fiz aquela semana inteira “Deus, quando as coisas vão mudar pra mim? Quando vou ter uma nova chance?” ....Estava ai a resposta que Deus me deu. 

Esse foi meu start para cirurgia Bariátrica.


Beijos amigos, vamos que vamos.


27 de maio de 2014

Boa tarde meus amigos.

Hoje estou jururu...dor dente me matando, que dia loooongo!

Sabem o que descobri sobre mim? Eu gosto mais da textura do que do sabor. Deixa eu explicar:

Eu não sinto falta de comer certos alimentos, já já faz 1 ano que não como bobagens, lanches, pizzas, doces...essas coisas.
O que me faz manter esse controle é 50% a Bariátrica, lógico. 30% Minha força de vontade e 20% a textura dos alimentos que eu como.

Antes eu comia biscoito recheado porque gostava da mistura do recheio com o crocante do biscoito. Ao invés disso eu como cookie diet. Ele tem o crocante do biscoito e os grãos e gotinhas de chocolate diet;
Tomo um iogurte concentrado que me lembra o danoninho;
 Mingau de aveia ou um pudim diet quente que me lembra o mingau de arroz ou farinha láctea;
 Como gelatina batida com iogurte bem macia que me lembra um mousse;
 Como pão integral assado com queijo, orégano e molho de tomate no forno que me lembra a textura da pizza.

O sabores não são os mesmos. Mas isso não importa, o que me faz gostar é a textura. Acredito que isso é o barato. Talvez por conta da bariátrica, já que fiquei tantos meses na abstinência que acabei perdendo o prazer em comer muita coisa. E tem muita coisa que eu realmente esqueci o sabor. nem quero lembrar. Principalmente as coisas que demanda uma mastigação prolongada. Eu prefiro alimento macios, cremosos...coisa de gordo.

Minha terapeuta me disse para fugir de alimentos que dissolvem na boca. Porque dão conforto, não saciam rapidamente e atiçam a compulsão alimentar. Eu peco ai, porque adoro um biscoito de polvilho e amido...mas aprendi a medir a porção que vou comer, detesto segurar um pacote. Não faço isso mais.

É interessante brincar na cozinha, dá pra fazer um monte de coisa saudável, diferente, sem sair da RA. Nunca tinha prestado atenção nisso. Falta eu achar alguma textura que fique semelhante a do bolo...


Beijos amigos e vamos que vamos.



25 de maio de 2014

Oi Gente.

Eu que adorava um final de semana estou começando a ficar injuriada, quem diria eu não querer que a sexta-feira acabasse. Porque eu não paro no final de semana inteiro e é chato pra caramba rsrsrs, o dia
inteiro na função de limpar casa, fazer mercado, de manhã curso, não tá sobrando espaço pra dar uma volta, espairecer, fica á toa vendo TV, está tudo muito automático, estou precisando de umas aventuras....rsrsrs.

Ontem não fui pro curso por um bom motivo, minha mãe tinha retorno com o cirurgião, e como sempre faltou um exame, dessa vez é um simples de urina, porque da outra vez ela estava com infecção de urina, já terminou os remédios e precisa repetir. O bom da história que ele já marcou retorno para sábado que vem, então fica mais fácil. Agora o médico vai marcar a cirurgia, e minha vida vira do avesso mais uma vez, são 30 dias de cama, até para comer é deitada. Coitadinha, o pós operatório de prótese de quadril é terrível, mas estou pronta pra segurar a onda com ela. Pelo menos ela voltará a andar. Ainda não sei como fazer, vou precisar de alguém integral pra ficar em casa enquanto eu trabalho, alguém para colocar meu filho na perua da escola, ajudá-lo a trocar de roupa, acho bom já começar a organizar isso, porque senti que os ventos estão á nosso favor. Torçam por minha mãe meus amigos, ela precisa demais dessa cirurgia.

Estou um tanto ansiosa com essas novidades, quero muito que ela opere logo e com vontade de comer o dia inteiro, isso é um saco! E ainda um friozinho gostosinho e TPM dá mais vontade de ficar mastigando. Adiantei o lanche da tarde, porque estava muito afim de comer alguma coisa, tomei pouca água hoje acho que 500 mls só. Queria comer bolo de fubá, mas não tenho adoçante forno e fogão, deixa prá lá....mesmo com a ansiedade a todo vapor não vou sair do meu propósito.

O lado bom do tempo frio é que podemos mudar o menu, hoje tomei sopa de legumes, macarrão e carne, que desceu muito bem.


E mais tarde vai rolar um mingauzinho de farelo de aveia...rssrs


Bom final de domingo, que essa semana seja abençoada!


24 de maio de 2014
Boa tarde!

Amigos, muitos me perguntaram se chegou o fim da minha vida de blogueira. Lógico que não! Esse cantinho já faz parte de mim, eu estou de alta médica, mas ainda tenho muitas coisas pra dividir com voces, só tenho 11 meses de vida nova, sou um bebê, ainda vão ler muita história minha...rsrsrs.

Agradeço o carinho de todos nos meus momentos difíceis, como essa queda de cabelo que enfrento agora. Recebi inúmeras mensagens, e-mails, palavras de apoio e força, dicas de cortes modernos, me mandaram fotos de como ficaram depois. Uma colega do trabalho, a Neide até trouxe de sua casa seus produtos de cabelo para eu usar durante essa semana. Fico muito feliz com toda solidariedade que tenho recebido. A torcida está grande.

Isso me faz pensar em como tudo fica mais fácil quando dividimos o que estamos passando, a ajuda vem de onde menos esperamos, outro dia levei um puxão de orelha de uma tia distante que soube pela minha mãe que operei e vim pra casa sozinha, eu podia ter ligado que iriam me auxiliar. Porque sempre me faço de forte? Eu podia ter ligado para um parente, mas não o fiz. Não sei até onde é orgulho, cautela, medo de dar trabalho pra alguém. Me tornei uma pessoa muito prática, tento incomodar o menos possível, os anos como uma mãe solteira pesaram nesse comportamento, fiquei endurecida, preciso me manter forte e no controle, porque criar e educar alguém, ter alguém completamente dependente de voce para sobreviver é uma carga pesada, embora muito gratificante. Depois da maternidade fiquei assim, aguentando tudo de frente, sem cair, sem medo. Mas ás vezes transbordo e choro até não aguentar mais. E antigamente comia até não aguentar mais também, agora só choro...rsrsrs.

Nesses últimos meses tenho tido mais momentos felizes do que triste, a Bariátrica é a maior responsável por isso.

Agora começo a mudar isso, se algo me incomodar vou falar sim, se eu precisar vou pedir, não dói. As pessoas só sabem que voce precisa de ajuda se voce falar.




Obrigada.

Beijos e vamos que vamos.


23 de maio de 2014

Boa noite meus amigos.

Estou encerrando hoje um ciclo da minha nova vida. Meu cirurgião hoje me surpreendeu. Estou de alta definitivamente.

Primeiro conversamos sobre meu pós cirúrgico que foi um sucesso, me liberou para a academia, ufa! Falei sobre meus cabelos e ele receitou Pantogar 3X por dia durante 4 meses + Inneov Nutri Care 2 comprimidos por dia por 6 meses e me orientou procurar um Dermato.

Depois ele começou a falar da Gastro: "Há um ano voce chegou aqui com IMC de quase 48, hoje seu IMC é 25. Silvia, não precisamos mais nos ver, agora está de alta, voce não precisa mais de mim tudo o que precisava já fiz. Tiramos a vesícula, reduzimos o estômago, voce emagreceu mais do que o estipulado na cirurgia - ele circulou na ficha - sua meta de peso era de 79 á 82 quilos e vc está pesando 75 quilos. Se acontecer algo volte aqui, senão volte daqui 2 anos para me visitar. Se tivermos uma evolução na medicina na questão de absorção de vitaminas ou um remédio inovador, ligamos para voce marcar uma consulta. A cirurgia ainda vai te ajudar emagrecer por mais 1 ano, mesmo assim continue com as nossas meninas nutricionistas, faça terapia, faça acompanhamento com endócrino, continue se exercitando pra toda vida, ainda vai trocar mais gordura por massa magra, tome suas vitaminas rigorosamente, e sempre faça as melhores escolhas, respeite seu estômago. Agora vc é uma pessoa magra, sua vida pode seguir normalmente".

Foram essas palavras. gravei todinhas na cabeça. Eu disse " Dr não pode me dar alta, ainda tenho sobrepeso!" e ele disse "Sobrepeso? Por causa de 2 quilos? Ótimo, parabéns, se considere uma pessoa de sorte. Muitas vezes a cirurgia deixa um obeso mórbido somente obeso, infelizmente, então se considere sortuda. Veja seu histórico, sua genética e o trauma que excessivas dietas mal sucedidas fizeram com seu organismo, voce está ótima".

Essa alta inesperada me surpreendeu. Me senti desamparada por um momento e me emocionei. Afirmei com a cabeça que compreendi tudo e meu médico estendeu a mão pra mim, levantei, peguei em sua mão tão abençoada e agradeci: "Dr Marcelo, obrigada por cuidar de mim durante esse 1 ano" Ele se levantou e me deu um abraço. Encerrei ali uma etapa da minha vida. Me arrependi de não ter tirado uma foto com ele, sempre será uma pessoa importante pra mim.

Sai do consultório e me senti nua. Parece bobagem, mas a impressão que me deu é que agora estou sozinha nessa, embora a rotina de médicos continuará grande, bem grande... não preciso mais do cirurgião. Pronto, o papel da cirurgia está cumprido. Acabou essa fase.

O pior é que não fiquei saltitante com isso, me assustei, não quero aceitar que agora é só viver o que tanto almejei, me acovardei e ainda tenho aquela maldita sensação que eu tinha a certeza absoluta que ia passar quando eu emagrecesse, e ainda não aconteceu. Me agarro na possibilidade de emagrecer mais um pouco e ver as coisas finalmente mudarem, mas o Dr Marcelo antecipou isso.

Em contrapartida meu coração sorri, eu que cheguei no Instituto Garrido com a alma em frangalhos, me sentindo a pior pessoa do mundo uma solidão que chegava a doer, depositei naquele médico todas as esperanças da minha vida, e hoje sai de lá com um troféu, hoje eu posso bater no peito e dizer que venci essa batalha. A guerra não, ainda tem muita água pra rolar debaixo dessa ponte. E conto com o apoio de voces.




Beijos e vamos que vamos.


21 de maio de 2014

Boa Noite Amigos.

Estou tão desanimada com minha queda de cabelo, uma sensação que estou doente, minha feminilidade indo por água abaixo... meus cabelos caem cada dia mais.
A queda começou com 5 meses de Gastro, tomei o remédio de queda Pantogar por 3 meses, melhorou bastante mas nunca parou de cair. Agora aos 11 meses voltou a cair assustadoramente, puxa.

Sim, é melhor careca do que obesa mórbida, eu sei. Mas é tão chato ver seus cabelos sem vida nenhuma, feio...nem uma escova faço mais, fica ridículo.

Olhem as fotos tiradas hoje, não estou exagerando não, pra quem ouviu que nunca um paciente bariátrico ficou careca, estou aqui pra mostrar que fica sim:




Esse é só um lado da cabeça, o cabelo vai caindo por baixo e dos lados, bem esquisito. Fiz tantos exames e não dá nada de errado. Minha terapeuta acha que é emocional, aff. Nem sei mais. Amanhã retorno com meu cirurgião, veremos o que ele me sugere: Implante, peruca, raspar tudo hehehe, só rindo pra não chorar. 

Simbora enfrentar mais isso, eu já sabia que podia acontecer, fui avisada disso também, só que na pele é bem mais difícil.

Beijos e vamos que vamos.




20 de maio de 2014

Tem gordura? Então não presta

Vamos usar isso para as comidas, não para as pessoas.

Boa tarde amigos!

Desde que operei assuntos sobre gordura, vida saudável, vícios e afins me rodeiam o tempo todo, isso é
 muito bacana, acho que minha energia atrai esse tipo de assunto  que adoro e serve como incentivo pra eu continuar sendo um pessoa saudável, de bons hábitos e tal. Mas não consigo admitir preconceito com os obesos, a discriminação.

No ônibus lotado que vou trabalhar rotineiramente fiquei em frente duas moças bonitas e bem vestidas que conversavam. Ouvindo a conversa reparei que a morena com cara de desiludida tinha terminado um namoro e se lamentava com a amiga:

- (Desiludida) Ai amiga, ele nem me ligou mais...dessa vez acabou mesmo.

- (amiga consoladora) Não perca as esperanças ele volta pra você logo logo.

- (Desiludida) Será? Ele já conheceu outra mulher, é um galinha mesmo.

- (amiga consoladora) Mulher? Mulher? Que mulher? Vejo ele todo dia na porta da faculdade esperando a ficante dele...fica sossegada, é uma gorda, sem chance.

Gente...eu ouvi aquilo e me deu uma revolta, não escutei mais nada...só a palavra GORDA na minha cabeça. E ainda ela fazia gesto com as mãos pra mostrar o tamanho da moça. Puxa vida, então quer dizer que o rapaz terminou o namoro, decidiu ficar com uma gorda então está  garantido que ele não gosta dela por causa do peso? A gorda não tem valor, pode ser facilmente trocada? Tem gordura, então não presta?

A gorda não merece um namorado, não merece viver, não merece ser feliz. Fiquei arrasada com tal comentário. É assim que a sociedade nos apoia. Com xingamentos e discriminação, nos diminuem intelectualmente, infelizmente a maioria das pessoas que não convivem ou amam um obeso, não entendem que trata-se de uma doença, ninguém é gordo porque gosta, acha bonito.

Não falei nada na hora, mas depois me arrependi. Por isso vim desabafar aqui. Devia ter perguntado se alguma das 2 era pelo menos graduada, pois a gorda que o rapaz está ficando pelo menos faz uma faculdade né, e a gorda deve ser bem mais gostosa que ela, já que ele nunca mais ligou pra ela. Aff...ficou aqui na garganta...hehehe. Eu também não podia me intrometer assim na conversa dos outros, ou podia?

Fazer o quê...passou a raiva já. É por essas e por mais um monte de outras coisas que não quero ser gorda nunca mais. Olham nosso peso primeiro, não o que somos. É uma triste realidade.




Beijos amigos e vamos que vamos.


17 de maio de 2014

Boa Noite amigos!

Vou mostrar pra voces minha evolução de 11 meses de Gastroplastia. Segue minhas fotos, tirei com muito carinho para registrar e para incentivar quem precisa emagrecer também. Essas fotos me dão um ânimo maior.

No momento eu peso 74 kilos tenho 1.70 de altura. Já se foram 64 kilos jogados no lixo, estou muito feliz com meus resultados, eu sonhava em emagrecer, mas não imaginava como eu ia me sentir quando acontecesse, como é ser magra, estou sentindo um gostinho disso...é tão bom que vou saboreando devagar, que medo de acordar desse sonho. Obrigada Deus!

Porém olhando agora as fotos enquanto faço as montagens me deu uma sensação estranha...não me reconheço mais nas fotos do antes, mas não me encontro no agora....sei lá, meio esquisito. Mas a felicidade é grande, muito grande.

Eu Antes e Depois de 11 meses:









Beijos e vamos que vamos!


16 de maio de 2014

Boa tarde Borboletas e Casulos.

Já pararam para pensar que depois de operados também podemos engordar novamente? 

Ainda nem alcancei minha meta pessoal e esse assunto muito me interessa, porque tenho
pavor de engordar outra vez. Agora a vigilância precisa ser maior ainda, pois a bariátrica foi minha última chance, se eu negligenciar com minha alimentação e voltar a ganhar peso, nada nem ninguém poderá me ajudar novamente, não se mutila um órgão 2 vezes – palavras do meu cirurgião. Dito isto, tenho calafrios só de pensar que tenho chance de engordar, a obesidade ainda não tem cura. Gente, nunca mais, nunca mais quero ser gorda outra vez.

Nunca vou deixar minha equipe multidisciplinar, e se eu não estiver dando conta sozinha, peço ajuda, não vou fazer vista grossa para nada no que diz respeito ao meu peso, alimentação e saúde. Não deixo passar despercebido nadinha, agora é tudo ou tudo.
Meu ponto fraco é a compulsão e o transtorno alimentar, então... terapia sempre! Acredito que este é o caminho, verificar onde é mais difícil, admitir que preciso de ajuda e me submeter ao tratamento pra ficar com a mente sã.

Pesquisa do estudo SOS:

A cirurgia bariátrica (também conhecida como cirurgia de redução do estômago) costuma cursar com importantes resultados na perda de peso e na qualidade de vida dos pacientes. No entanto, muitos pacientes estranham quando são alertados que, se não tomados os devidos cuidados, poderá haver importante ‘re-ganho’ de peso após a cirurgia. Isso ocorre porque a obesidade é uma doença crônica, que ainda não possui cura apesar dos grandes avanços da medicina atual.
O principal estudo científico sobre os resultados da cirurgia bariátrica em longo prazo é conhecido como SOS (Swedish Obese Study). O estudo SOS demonstrou que ao longo do tempo, os pacientes tendem a recuperar parte do peso perdido após a cirurgia.
Foi demonstrado que após 2 anos da cirurgia, ocorria a maior perda de peso, cerca de 70% do excesso de peso; após 5 anos da cirurgia, metade dos pacientes operados ganham 20% do peso perdido; após 10 anos da cirurgia, apenas um terço dos pacientes mantêm o peso perdido nos primeiros 2 anos.

Quando dizemos que a cirurgia teve sucesso?
O corpo humano não funciona como uma máquina. Nosso organismo não pode ter seu comportamento previsto em simples fórmulas matemáticas. Existem diferentes formas de se avaliar o sucesso da cirurgia, mas cada caso deve ser avaliado individualmente.

Considera-se sucesso na cirurgia quando:
•Paciente perde 35 a 40% do peso total inicial após 2 anos da cirurgia ou
•Paciente perde 50% do excesso de peso em relação ao peso ideal após 2 anos da cirurgia

Quais fatores facilitam o ‘re-ganho’ de peso após a cirurgia?


1-Transtornos alimentares: compulsão alimentar, compulsão por doces, síndrome do comer noturno, dentre outros, são transtornos psicológicos que correspondem à principal causa de obesidade; após a cirurgia, se não devidamente diagnosticados e tratados, levam ao re-ganho de peso.


2-Baixa adesão ao acompanhamento clínico e nutricional: as reavaliações com o Endocrinologista e Nutricionista são fundamentais para se ajustar o tratamento dietético com as condições clínicas do paciente. A falta de proteína, por exemplo, leva à atrofia muscular, ganho de gordura e baixa resistência imunológica.


3-Baixa adesão à atividade física: quem se submete à cirurgia pensando que não haverá necessidade de mudar hábitos irá ficar decepcionado em pouco tempo. A falta de exercícios diminui a taxa metabólica, que é a capacidade de queimar gorduras. Exercícios regulares deverão ser realizados por toda a vida.


4-Má informação do paciente: entender que a cirurgia não é sozinha a solução mágica para a obesidade é muito importante. A falta de informação do paciente, falta de cooperação ou ainda a vergonha de retornar ao acompanhamento por estar ganhando peso novamente, faz com que muitos pacientes percam praticamente todo o resultado da cirurgia.


5-Modificações no organismo após a cirurgia: com o passar do tempo, o estômago e intestinos no paciente operado passam por algumas adaptações que permitem ao organismo absorver mais gorduras e açúcares; ocorre dilatação do estômago, diminuição da saciedade (pode ocorrer logo no sexto mês de operado), aumento das vilosidades intestinais (passam a absorver melhor alimentos calóricos).

Por Dr. Tarcísio Narcísio Silva – Médico Endocrinologista e Metabologista


Beijos amigos e nada de jacar no final de semana hein...rsrsrs

Vamos que vamos!


15 de maio de 2014

Bom dia!

Olha o que eu achei no mercado:


Hummm....é tão gostosinho! 
Esses biscoitos estão dentro do nosso propósito e são saudáveis. Sempre vou no mercado procurar algo que satisfaça minhas necessidades sem abrir mão do sabor. 

O melhor de tudo é que 13 biscoitinhos tem apenas 111 calorias, porção de 30 gramas.


Bem levinho, me lembra pipoca quando como, coloco na vasilha e carrego na bolsa, quando dá aquela vontade de sal sabem? é crocante e os ingredientes é só isso: Arroz integral e sal. É bastante carboidrato, então como no lugar do pão no café ou lanche da tarde, porém é um carboidrato do bem porque é integral.


Cai bem com atum em cima, queijo ou fio de mel ou ainda geléia diet, várias opções ou puro mesmo rsrsrs. Vem bastante biscoito no pacote como 3 ou 4 e já fico satisfeita. Não é caro eu paguei 5,99  e olha que foi em mercado de rico hein..rsrsrs, perto de casa não tem essas opções de coisas diferentes, e sempre que vou na terapeuta depois entro no Pão de Açúcar que aqui é só para granfinos e a variedade é imeeeeeensa. 


Beijos e vamos que vamos!



14 de maio de 2014

Bom dia meu amigos!

Sim, precisa ter fé pra emagrecer.  Não importa sua crença, sua religião, antes de dar o primeiro passo em 
direção ao caminho que está escolhendo você precisa ter fé, acreditar com todo seu coração que vai conseguir alcançar seu pote de ouro – seu tão sonhado peso saudável.

Sempre tive meu pé atrás com tudo, sempre fui muito desconfiada, e sempre soube que não existia fórmulas mágicas para conquistar nada, muito menos a fórmula que me permitiria comer  de tudo e nunca engordar, e ainda assim teimava em acreditar que aquela dieta funcionaria, que aqueles remédios seriam meus salvadores, que dessa vez ia dar certo.  Eu não ouvia a razão, eu sabia que não era possível tal façanha, mas insistia.  Na real tinha acabado minha fé.

Cheguei a achar que meu destino era ser gorda, eu comecei a acreditar que tinha pessoas que nasciam sei lá porque para serem gordas, eu tinha uma vocação na gordura, pronto. Estava resolvido minha missão na terra. Comer, comer tudo que gostava sem culpa, sem pensar no amanhã, sem me importar com as queixas do meu organismo, fazia vista grossa para cada tentativa de comprar um jeans – a cada 2 ou 3 meses – não era porque tinha dinheiro sobrando não, era porque todos meus jeans rasgavam entre as pernas ainda novos e lá ia eu na batalha de encontrar outro no tamanho 54. Não tinha problema, eu tinha que ser assim, era minha sina.

Onde estava minha fé? Tinha evaporado, ou talvez eu já tivesse comido ela também, como fazia com tudo ao meu redor. Nunca fui de fazer um pratãoooo de comida não, mas eu mastigava o dia todo somente porcaria.

Um dia eu sonhei que estava magra, e que uma senhora muito simpática me ajudava a emagrecer, ela disse com tanta firmeza que eu conseguiria, que eu acreditei e tentei mais uma vez. Acordei cheia de fé,  e partir dali nunca mais desisti de mim. Esse não foi meu start para a Bariátrica não. Foi o impulso pra eu voltar a creditar que eu podia ser feliz e saudável, e consequentemente magra!  O start veio bem depois, um ano depois desse sonho, outro dia conto pra vocês.

Lutei, lutei como eu sabia e depois como os médicos me orientaram, até chegar aqui.  Ainda não é o final, tenho mais 9 quilos para eliminar e depois vem a outra parte, a manutenção deste sonho realizado. E ai meus amigos minha fé deverá ser maior ainda porque é de onde vou tirar forças pra viver o dia –a – dia, está perto o dia que não terei  mais o objetivo de perder peso,  e mais engraçado que isso é lutar para manter por tempo indefinido, pra sempre exatamente.

Pra quem ainda não encontrou um ânimo, um motivo pra continuar, não desista, pense com carinho, é a sua fé que vai te mover. Acredite que você vai vencer, a nossa força é ilimitada desde que acreditemos nela.  Por isso não bastar comer saladas, cortar o açúcar, contar calorias se não acreditar que isso é a mudança, que você está mudando primeiro por dentro. Eu acreditei, eu mantive a fé, mesmo com tantas pessoas contra, mesmo com olhares de pena, ou desejos que eu não emagrecesse, me apoiei nas pessoas que me amam e tiveram e tem fé em mim, pessoas que vibram com cada quilo que emagreço, me felicitam, sorriem para minha felicidade. Esse é o combustível, não será fácil, dói na maioria das vezes. Realmente não existe mágica, mais existe a fé.



Beijos e vamos que vamos


12 de maio de 2014

Boa noite.

Hoje é dia de comemorar 11 meses de Gastroplastia. Puxa, parece que foi ontem. Cada dia tem sido desafiador, essa nova vida saudável e leve é maravilhosa, porém não é fácil. A cirurgia é uma facilitador, um limitador, mas o sucesso do meu emagrecimento depende de como lido com a comida, cabeça precisa ser trabalhada constantemente, a vigilância é eterna.

Esse mês emagreci 1 quilo. Dessa vez não é platô, é estagnação de peso mesmo. Primeiro que não estou fazendo nenhum tipo de atividade física- ainda no resguardo da cirurgia de vesícula - segundo por que o corpo vai ficando resistente, quanto mais leve ficamos menos calorias ele gasta, então é preciso intensificar os treinos. Na hora que subi na balança achei tão pouco...mas agora não. Está ótimo também. Cada quilo merece o mesmo carinho, vai ser de um em um que vou chegar na minha meta pessoal. Antes de ficar frustada porque não emagreci o que esperava, é lembrar de onde eu vim. Não posso esquecer daquele passado não longínquo que cada dia engordava mais e mais...vixxi só de lembrar me dá agonia, então sempre em frente.

Agora, 64 quilos mais magra, me sinto uma mulher muito feliz, me sinto atraente, estou bem mais destemida.

Meu cabelo voltou a cair assustadoramente e dessa vez acho que ficarei careca de fato. Vou voltar no médico e ver o que posso fazer.

Aprimorei a arte de comer pouco, não tenho mais entalos, vômitos, muito menos dumping. Peso de olho praticamente minha porção, tenho noção de peso de comida, e estranhamente agora acho que todo mundo come muito! Mudou minha noção de quantidade. As vezes como e fico enjoada o dia inteiro, não sei porque, ainda não descobri o que está me fazendo mal, mas é questão de tempo, vou saber.

Continuo comendo de 2 em 2 horas, priorizando proteínas, tomo diariamente as vitaminas, tenho sempre lanches na bolsa, não como doces, bebidas com gás e gorduras. Gente, nunca senti falta de tomar refrigerante, antes era essencial, não imaginava viver bem sem essa porcaria, louvo a Deus por isso, acho que desintoxiquei meu corpo dessa sujeira toda, hoje em dia tenho uma alimentação limpa, isso me orgulha muito.

Tenho picos de ansiedade, felicidade e tristeza, estou bem bipolar, é muito chato, fico desanimada, porque quero sempre ter o controle da situação. Ainda assim me acho forte. Aquele vazio que sempre tive e achava ser por causa da obesidade, ainda está aqui comigo, não sei como me livrar disso.

Estou muito friorenta, estou com bastante dores no corpo, nos ossos, vou no ortopedista semana que vem, acho que é relacionado a perda ponderal, vamos ver.

Ainda não sei direito o que fazer, como viver com o corpo mais magro, 11 meses ainda é pouco. Agora começo a sentir prazer em desfrutar tudo o que estou conquistando.

E sim, ainda me acho muito gorda.

Acho que é isso que tenho pra dizer sobre esses 11 meses. Altos e baixos e com certeza muita felicidade.

Arrependimentos? Só de não ter reduzido meu estômago antes!

Depois coloco as fotos do Antes e Depois.

Beijos e vamos que vamos.

11 de maio de 2014

Boa noite.

Feliz dia das Mães!!

Findi passou voando...nem deu tempo de vim aqui ontem.
Sábado fui pro curso de manhã, sai 12:00 almocei com uma amiga, fiz algumas coisas no Centro peguei o ônibus. Cheguei em casa, fui fazer a feira da semana, voltei pra casa com as coisas, depois fui no mercado comprar tudo pra todo mundo passar a semana bem. Os supermercados estavam uma loucura, muita gente...voltei pra casa quase 19:00, tristeza, não tinha feito nada em casa, começou a chover e me deu uma baita preguiça, fiz as unhas da minha mãe, tomei banho assisti um episódio de Supernatural e dormi,capotei.

O cansaço tá grande mais não posso deixar o propósito de vida saudável, eu poderia deixar pra lá e passar a semana comendo bobagens né porque é bem mais fácil. Só que não. Agora faço questão da fruteira e geladeira bem colorida, isso é prioridade pra mim. Só não trouxe melão, porque estava muito caro! rsrsrs.
Tudo abastecido no sábado, hoje domingão dia das mães limpei minha casa todinha, todinha mesmo, tudo um brinco. Agora cuidar de mim, vou fazer minhas unhas e que venha segundona outra vez. Quero que esse mês passe voando mesmo, dia 24 minha mãe tem consulta com cirurgião, estou mantendo a positividade e dia 28 acaba meu curso noturno e também vou pra academia...passa logo mês...

Esse foi o almoço de mães hoje:

Frango assado, macarrão alho e óleo, azeitona e salada de rúcula e alface:



Sobremesa:

Gelado de morango diet, família toda adorou, pouquinhas calorias, zero açúcar.



Acho que é só...rsrs, deixa eu ir ali arrumar as coisas do filhote que amanhã tem escola.


Beijos amigos e vamos que vamos.


9 de maio de 2014

Boa tarde amigos!

Vim contar o que eu li ontem. Sim, eu leio sobre emagrecimento até demais...kkkk

Uma blogueira teve o convite para contar a história do seu emagrecimento para a revista Shape americana, ficou feliz da vida pois emagreceu 80 quilos em 4 anos com muita luta, vocês sabem.  Fizeram uma linda matéria inspiradora e quando ela mandou o e-mail com suas fotos de biquíni teve uma negativa e um pedido que colocasse fotos vestidas por causa da flacidez.

Ué...a revista não diz que apoia a saúde e luta contra a obesidade? Então tem que mostrar como fica a maioria das pessoas depois de uma perda ponderal tão grande. Há casos e casos, eu sei. Já vi mulheres emagrecerem 50 quilos e o corpo parece que nunca foi gordo na vida. Porém a grande maioria precisa de no mínimo uma intervenção plástica. Esse assunto é muito sério e precisa ser mostrado sim.  Aplaudo a Brooke Birmingham por sua coragem de se expor dessa maneira, porque eu mesma não tenho coragem de tirar foto sem blusa, porque fiquei bastante flácida.

Uma pena a matéria não sair, a convidada não aceitou finalizar a entrevista, ela queria mostrar de fato como está seu corpo. Ela entendeu que fazendo isso ia voltar aquele ciclo de ter vergonha do próprio corpo. A revista não quis publicar porque? Porque a flacidez é feia? Porque a mulher emagreceu ficou flácida não é uma vencedora? Porque mostrar a realidade é tão difícil?

 Talvez aumentasse a conscientização das pessoas ver o que a obesidade faz, não somente o que mostra os exames de sangue. Uma vez que nos tornamos obesos, jamais nosso corpo voltará a ser como de uma pessoa que nunca foi gorda, as plásticas reparadoras também deixam cicatrizes, é um processo dolorido, perigoso. O melhor seria nunca ter sido gorda....mesmo emagrecendo horrores a obesidade deixa suas marcas no corpo, no emocional, na alma.


Li essa matéria e fiquei estupefata.  

Essa é a foto que sairia na revista:



Obrigada Brooke por sua bravura!



Beijos e vamos que vamos.



8 de maio de 2014

Boa tarde!

Quando a comida vira um vício, precisa ser tratado como tal. Minha terapeuta disse que preciso saber diferenciar comer e me alimentar. Eu me alimento para inserir combustível no meu corpo e como para saciar a compulsão. Estranho né. Mais faz todo sentido.

No meu automóvel novinho não vou colocar combustível de procedência duvidosa, muito menos parando
no posto de gasolina toda hora para abastecer não é? Com nosso corpo precisa ser da mesma maneira.
Partindo desse raciocínio - que sou viciada em comida – Porém diferente do alcoólatra e do dependente químico, eu preciso da comida pra sobreviver, então  preciso dosar a ingestão da droga. É difícil, é ruim, é chato.

Me pergunto todo dia porque tem que ser assim.

Não se come problemas, agonias, felicidades. Nos alimentamos de verduras, proteínas, frutas, carboidratos. Tenho que mentalizar isso.

Aquela fase de se martirizar por não poder comer tal coisa já era. Posso ver uma pessoa comer o melhor bolo do mundo – era meu alimento preferido-  que não sinto mais nada, nem salivo mais por isso nem fico pensando depois, como acontecia até uns meses atrás. Isso se deu graças há 10 meses de terapia intensiva. 

Escrevendo parece muito pequena a evolução, mais não é. O desejo é muito difícil de ser controlado, por mais força de vontade que tenhamos e ainda com uma baita ferramenta – A Gastroplastia – desejar comer é comum e involuntário.

Assim vejo como evolui, superei uma das etapas, a restrição alimentar do começo da vida de Bariátrica. Hoje tenho restrições do meu próprio organismo e da minha consciência, porém a luta continua constante, por que basta algo não sair como desejo e todos os sentimentos em relação á comida voltam bruscamente.

 Na terapia ouvi que isso é reflexo de tantos anos obesa. A maldita obesidade arranhou meu “disco rígido” e não será possível apagar a memória nunca mais. A vigilância será eterna, tenho uma doença crônica, sempre terei memória de uma obesa mórbida, isso não dá pra mudar. Mas posso conviver bem com isso, encontrando outras fugas.

Meu alicerce é um corpo magro e com saúde,  e uma incrível vontade de ser feliz. Meu ponto fraco é o terrível medo de perder a luta para a comida e ficar gorda outra vez.

Esse foi um dos pontos tratados na terapia que faço toda quarta-feira para compulsão alimentar. Pra quem tem curiosidade de saber como é, estou dividindo minha luta mais íntima.  Indico muito a terapia, é importante demais e me ajuda muito, muito mesmo.

O meu conselho é que não abandonem o apoio emocional depois da cirurgia, nunca pensem que sozinhos vamos manter o controle, e não tenham vergonha de pedir ajuda, talvez se alguém tivesse me falado e me incentivado a procurar ajuda psicológica antes, não teria chegado a pesar 138 quilos. Sei lá...talvez. Eu não dava ouvidos pra nada, só ouvia fracassada na minha cabeça.


Beijos e vamos que vamos.


7 de maio de 2014

Boa tarde amigos!

Desde que fiz a Gastroplastia gosto de comer produtos com boa procedência. Antes, qualquer porcaria eu comia, gostoso ou ruim, nem me importava de onde vinha eu comia e comia.

Hoje não. Escolho o melhor pra mim e minha família. Ainda como os industrializados, mas gosto de empresas parceiras da saúde. Não é propaganda da Yakult não...rsrs, mas são produtos de qualidade e são seguros.

Liberado pela nutri, tomo de vez em quando o Hiline, é baratinho, cada frasquinho sai por 1,65 porção ideal de 100 mls, adoçado com sucralose e tem 30 calorias. Mata a sede e tira a vontade de doce, porque é a base de ervas aromáticas: cravo, erva doce, guaraná) é uma delícia e tem bastante ferro.

 

O suco de maçã é sem adição de açúcar e sem conservantes, sempre tenho em casa, ofereço também para meu filho. Antes eu comprava todos os sucos da linha, mas sem açúcar mesmo é só esse. Geralmente as pessoas que estão na dieta líquida tomam também. 200 mls e 80 calorias por 1,99.


Meu queridinho do momento é o Sofyl. Experimentei e adorei. Também adoçado com sucralose, tem lactobacilos vivos - intestino agradece- 50 calorias e 110 gramas. Só tem de sabor baunilha e não é enjoado não...docinho na medida e azedinho do jeitinho que gosto e a textura é de pudim. Sabe aquele pudim de maria- mole? Bem assim, geladinho é tudo de bom. Pago por ele 2,00.



Essas são minhas dicas de lanchinhos fresquinhos, coisinhas gostosas que não prejudicam a dieta de ninguém. 

Quem tiver mais dicas podem me falar, é bom variar né.


Beijos e vamos que vamos.


6 de maio de 2014

Boa tarde.

Esses últimos dias estou tão ansiosa, nem a terapia está dando jeito viu! Já li 3 livros (Todos romances) pra aumentar a ansiedade de um amor impossível hahaha, insônia, estresse exagerado, dores no corpo. Estou contando as horas pra voltar pra academia e dançar, dançar, dançar até não aguentar mais!  Estou sufocada e só quero comer....hehehe.

Minhas roupas pra exercícios estão muito caidinhas sabem...parecem mais um saco do que roupas. Roupas novas de malhar não são prioridades já que no momento preciso de tudo novo, então sempre compro algo que dê para usar no trabalho também.

Ai vou adaptando as blusas e leggings não ficam folgadas e duram muito mais.

Não é porque a gordinha tá emagrecendo que precisa ir assim dar aquela corridinha:

Porque comigo tá bem assim viu...um trote de leve e o peito vai lá no queixo...kkkkk


Enquanto AINDA não posso ir assim dar aquela corridinha:



Posso usar uma roupa arrumadinha e básica pras atividades, não preciso ir igual um balão, afinal ir bonita malhar ajudar a liberar o hormônio da saciedade, não é?

Gosto das simples assim:


Minha cara:

Fica arrumadinha e moderna sem chamar muito a atenção. Mas leggins divertidas também gosto, tenho uma estampada também.

Dou preferência para as blusinhas que cubram os braços por causa da flacidez....essas roupas outono inverno estão legais, mas o preço lá em cima! Entrei na Centauro esse final de semana e fiquei boba com os preços, nunca na minha vida tive a boa vontade de olhar roupas de malhar kkkk viram só como as coisas mudaram por aqui?


Não vejo a hora de chegar final do mês, a partir do dia 20 já posso ir malhar a pança.


Beijos e vamos que vamos!


5 de maio de 2014

Boa tarde Amigos!

Já falei uma vez aqui pra vocês que sempre tive muita curiosidade na dieta DUKAN né.  Comprei o livro do
Dr. Pierre – “Eu não consigo Emagrecer” estou na página 78, devorando o livrinho...e olha o método dele é muito bacana pra quem quer eliminar peso rápido e ele alega pra sempre. Gostei de como ele cuida não só do corpo, mais entende como nós pessoas obesas e ex obesas os comportamos diante da comida. A dieta é dividida em fases:   
  
Fase  Ataque:  5 dias de duração – proteínas Puras

Fase Cruzeiro: Alternância de Proteínas – Duração média: 1 semana por kilo perdido

Fase Consolidação do peso perdido: Duração média : 10 dias por kilo perdido

Fase Estabilização Definitiva: Quinta-Feira Protéica pra sempre  + Recusa do Elevador+ 3 colheres de sopa de farelo de aveia.
             
No livro o Dr Pierre alega que estudou 10 mil pessoas que fizeram a dieta certinha e nunca mais engordaram. O emagrecimento é definitivo desde que pra sempre na sua vida você use a quinta-feira proteica, não é negociável.

Ainda na fase ataque que estou lendo você pode comer a vontade os alimentos liberados, pura proteína. Não tenho coragem de deixar os carboidratos bruscamente não...o que me interessou é as fontes puras de proteína que tanto preciso e as receitas Dukan são criativas e saborosíssimas. Já fiz algumas como o peito de frango empanado no forno com farelo de aveia....Eu até fiz uma avaliação no site, para meu peso hoje e minha altura não é recomendado essa dieta...hahaha, ri muito quando li meu resultado que dizia: “Senhora Silvia, a dieta Dukan é para pessoas que estão realmente com sobrepeso ou obesidade”    Não me enquadro mais...rsrsrs, isso é o máximo.

Mesmo assim vou me aventurar em uns cardápios Dukan que fazem tão bem para minha saúde gastroplastizada já que agora proteína nunca é demais!

Beijos e vamos que vamos.


3 de maio de 2014

Boa noite meus amigos!

Depois da Gastroplastia, meu cirurgião e a nutricionista sempre reforçam a importância da carne vermelha na alimentação diária. O ideal de consumo é 6X por semana nas 2 principais refeições e se puder nos lanches da tarde. A porção é o tamanho da minha mão aberta que dá mais ou menos 150 á 200 gramas de carne vermelha.

O que vai me manter magra pra sempre é essa prioridade. A carne dá a maior saciedade e nos impede de comer muito carboidrato. É a minha maior fonte de ferro e proteína, renova novas células e a absorção dessa porção é apenas 25% das necessidades diárias de uma pessoa adulta. A fonte de proteína animal mais eficaz e completa que existe é do boi. Será? Vou pesquisar...

No paciente bariátrico que efetuou a técnica Bypass a absorção do ferro é muito baixa, considerada crítica, porque a parte do duodeno que faria essa divisão das vitaminas, não existe mais, foi excluída do intestino desviado. Não adianta se entupir de beterraba, feijão, o que for...não vamos absorver. Isso é preocupante, visto que carne é super fibrosa e a minha digestão é mecânica, não consigo comer uma quantidade considerável de carne.
Ou é safadeza mesmo, porque um churrasquinho vai que vai...rsrsrs. Tenho muito mal estar, enjôo e ânsias mesmo mastigando bastante, até cansar o maxilar. O médico diz que é assim mesmo, com tempo me acostumo, o lema é devagar e sempre...ele frisa que depois do  Bypass é 90% carne vermelha no estômago, vegetarianos não devem optar por essa técnica jamais!

Fontes de proteína animal agora fazem parte da minha vida pra sempre, sempre mesmo. É simples assim.


Alguém que fez Bypass teve recomendações diferentes da minha?


Beijos e bom final de semana...


1 de maio de 2014

Boa noite meu amigos!

Hoje 1º de Maio dia do Trabalhador, quero deixar meu singelo agradecimento aos pesquisadores, professores, cientistas e aos Doutores que dedicaram e dedicam seus dias para estudar e trabalhar tanto para encontrar soluções e técnicas cirúrgicas para melhorar a qualidade de vida dos seres humanos!

Um beijo carinhoso para os doutores Scorpinaro, Capella, Fobi e um especial para o revolucionário Roux - Seu Y vai morar pra sempre no meu coração ♥ - ou melhor- no meu intestino kkkkk.

Graças ao trabalho de médicos empenhados, estou me tornando em vida o que sempre sonhei!

Feliz dia do Trabalhador!!!


10 meses de Bypass e 63 kilos off, isso dá um trabalhão.....rsrsrs



Beijos e vamos que vamos!


Quem sou eu

Minha foto

Sou Silvia, romântica de alma, sonhadora e agora em busca do renascimento, um corpo saudável. No dia 12/06/2013 me submeti a cirurgia bariátrica, fiz o Bypass Gastrico em Y de Roux por video pelo convênio Bradesco no Instituto Garrido, depois de muitos meses pensando, enfim decidi! Vou dividir com voces a jornada da cirurgia, principalmente a parte burocrática e adoraria fazer novas amizades! bem vindos no meu diário, ele está aberto.

Pesquisar este blog

Evolução mês a mês

  • 12/06/2015 66,5 kilos 2 anos
  • 12/05/2015 66,5 kilos
  • 12/04/2015 66 kilos
  • 12/03/2015 67,2 kilos
  • 12/02/2015 67,2 kilos
  • 12/01/2015 68,6 kilos
  • 12/12/2014 69,2 kilos
  • 12/11/2014 69,5 kilos
  • 12/10/2014 70 kilos
  • 12/09/2014 72 kilos
  • 12/08/2014 73 kilos
  • 12/07/2014 73 kilos
  • 12/06/2014 73,5 kilos - 1 ano
  • 12/05/2014 74 kilos
  • 12/04/2014 75 kilos - meta médica
  • 12/03/2014 80 kilos
  • 12/02/2014 83 kilos
  • 12/01/2014 85 kilos
  • 12/12/2013 90,7 kilos
  • 12/11/2013 94 kilos
  • 12/10/2013 100 kilos
  • 12/09/2013 105 kilos
  • 12/08/2013 111,5
  • 12/07/2013 118,5 kilos
  • 12/06/2013 Maior peso 138 Kilos dia da cirurgia

Siga- me por e-mail!

Google+ Followers

Tecnologia do Blogger.

Minha lista de blogs